Skip to main content

Como escolher o estágio curricular de medicina veterinária

Por Prof. Dr. Leandro Zaine, CRMV-SP 21.418

 

A nossa reta final do curso de graduação em Medicina Veterinária é acompanhada por um monte de incertezas. “O que farei depois de formado? Buscarei um emprego ou residência? Vale a pena montar meu próprio negócio?”. Essas são dúvidas que eu também tive e, se eu tivesse sido melhor orientado, não cometeria alguns erros que me economizariam bastante tempo e dinheiro.

Para muitos, o local ou área onde fará seu estágio curricular (ou obrigatório) será determinante para o seguimento da sua carreira de médico-veterinário. A boa escolha passa por alguns cuidados fundamentais que, muitas vezes, nossos professores não sabem (ou não têm tempo para) nos orientar.

 

  1. Avalie as competências que você quer desenvolver

Essa é a parte mais importante (e mais difícil). Os estágios têm a função de ser um treinamento prático para te preparar para o mercado de trabalho. Mas, a primeira pergunta é: “quero ser preparado para quê?”. Essa análise envolve avaliar nossos gostos e competências e o que o mercado precisa. Para te ajudar nessa escolha, vale a pena conhecer o conceito de Ikigai 

 

Ao se conhecer melhor, você vai poder responder à pergunta: “o que quero desenvolver nos estágios?”. É importante que você faça esse exercício escrevendo no papel para ajudar seu cérebro a visualizar melhor. Exemplos: “quero desenvolver experiência prática em atendimentos”; “quero aprimorar meus conhecimentos sobre inspeção”; “quero mostrar meu serviço para uma possível contratação ou vaga na residência”. Tente ser o mais detalhista possível.

Depois disso, se pergunte: “o local que que estou pretendendo fazer estágio vai me ajudar a desenvolver essas competências?”. Isso vai te trazer uma grande clareza para saber se o local é adequado ou não.

 

  1. Busque áreas em que a faculdade de veterinária não forma

Na minha época de quinto ano, tínhamos 9 meses de estágio curricular. Era um tempo bem extenso para se aprimorar. E nisso tenho um arrependimento: escolhi todos os meses dentro de hospitais veterinários de universidades públicas. Por mais que isso tenha trazido uma grande bagagem técnica e prática, sinto que se tivesse diversificado teria um aprendizado mais rico.

Existe uma grande defasagem entre o que a faculdade prepara e o que o mercado precisa. Os estágios devem ajudar a suprir esses déficits. Por exemplo, se você pensa em ter a sua própria clínica, seria bom um estágio com marketing em uma empresa farmacêutica para você entender como eles buscam mais clientes. Se deseja atuar em uma especialidade de pequenos animais, deveria acompanhar um profissional que faz atendimentos volantes em várias clínicas para entender como ele divulga seus serviços e organiza a sua agenda.

O aspecto técnico é somente uma das coisas que você deve sair sabendo da faculdade. Aprender competências extras aumentará as chances de você ter um bom salário após a formatura.

Para saber como desenvolver mais essas competências, conheça nosso curso online para graduandos em Medicina Veterinária.

 

  1. Conheça o local do estágio de Medicina veterinária previamente

Para evitar surpresas e para garantir que era exatamente o que você queria, quando possível, visite com antecedência o local que você quer estagiar. Aproveite para conversar com as pessoas que lá trabalham e observar como é a rotina de trabalho e se isso ajudará a desenvolver as competências que você anotou no primeiro ponto.

Se não for possível visitar, tente converse com alguém já que esteve por lá e tente entender como foi a experiência.

 

  1. Antes do estágio começar, escreva o que você quer aprender

Essa etapa é uma revisão do primeiro ponto, mas feita de uma forma mais prática. Agora você já conhece o local e está pronta(o) para começar. Para melhor aproveitamento do estágio é importante que você deixe bem claro o que deseja aprender e vá revisando se isso está ocorrendo.

Para isso, é bem útil o bom e velho diário. Escreve nele as suas metas e ao final do dia ou semana anote seus principais aprendizados. Pode parecer uma ideia “babaca”, mas a psicologia tem mostrado que escrever é uma das atividades mais poderosas para o nosso crescimento.

 

  1. Atue como se você trabalhasse lá

Mesmo não tendo um salário ou tendo uma bolsa de estágio de um valor pequeno, é importante você encarar aquilo com grande seriedade, como se fosse um funcionário. É bastante frustrante quando encontramos estagiários que estão “cumprindo tabela”. No intervalo de atendimentos eles ficam no celular olhando “coisas mais interessantes”. Essa falta de empenho é certamente notada por quem te concedeu o estágio.

Então, procure ver as necessidades da empresa e mostre iniciativa para resolver os problemas. Faça um exercício de empatia e se pergunte: “o que meu ‘chefe’ precisa e como eu posso facilitar a vida dele?”. Se você conseguir antecipar essas necessidades, certamente será um estagiário valorizado que deixará uma impressão muito positiva no seu local de estágio.

 

Conclusão

Por último, deixo o recado que não haverá escolha perfeita. Certamente, terá coisas que você não vai gostar (e isso faz parte). É o que acontece também na nossa rotina profissional após formados. Mas, é importante esse empenho para aprender o máximo possível. Muitas coisas não farão sentido naquele momento, mas, depois com a experiência, você vai ver como aqueles aprendizados foram fundamentais para moldar o profissional de qualidade que você terá se tornado.

Quem viu também gostou:

Como ganhar dinheiro como Médico veterinário

10 dicas de marketing veterinário

Leave a Reply