Skip to main content

Veterinário e o equilíbrio da vida pessoal e profissional

 

Se você já nos acompanha, deve saber que prezamos bastante pelo equilíbrio da vida pessoal e profissional. É uma temática muito presente em nossos cursos para médicos veterinários, pois sabemos que “só trabalhar” muitas vezes não é o que traz realização. Muitos acreditam que esse equilíbrio é impossível e é algo que não cabe na nossa rotina.

Recentemente em um curso que aplicamos em Marília/SP, uma das alunas me perguntou: “Você está falando que devemos também considerar como importante a vida pessoal, mas como fazer se sempre, ao final do expediente, aparece uma emergência na minha clínica? Eu simplesmente vou embora e deixo o paciente sem atendimento?”

Esse é um tema bastante desafiador, mas existem muitas dicas de produtividade que podem te ajudar a lidar melhor com isso. Por mais que não seja exatamente fácil de se aplicar, certamente é possível, desde que você coloque certo esforço nessa tarefa. Vamos então às dicas:

 

Mapeie as suas principais urgências e em que horário ocorrem

 

Para isso, você vai precisar dedicar pelo menos 15 dias de observação (se for 1 mês inteiro, terá um panorama mais claro ainda). Você deverá fazer um “relatório” de cada dia, colocando o horário planejado para sair, o horário que você de fato saiu e o motivo do atraso. Por exemplo:

Data Horário previsto de saída Horário real de saída Motivo do atraso
01/06 19h00 22h45 Cirurgia de piometra
09/06 13h00 14h20 Paciente chegou para internar

 

Faça isso, inclusive, nos dias em que você conseguir sair no horário estabelecido e você terá um panorama da frequência dos atrasos, conseguindo entender em média quanto tempo você atrasou e quais foram as principais causas.

Tendo mapeado os atrasos, agora faça uma análise retrospectiva. Olhe para a sua lista e reflita: “De que forma eu poderia ter me antecipado para estar mais preparado para esses atrasos?”. Pode ser que seja difícil de você responder isso agora, mas com a prática isso ficará mais claro.

Tente enxergar tudo que está a seu controle e você poderá agir para antecipar as soluções dos problemas. No segundo exemplo “Paciente chegou para internar” o que você poderia fazer? Se você é o dono da clínica e vai fazer a troca de turno com o próximo funcionário, você poderia antecipar os horários de entrada dele para que vocês tivessem uma sobreposição de turno de pelo menos 1 hora. Nesse tempo, você já poderia ir passando os casos para ele e garantir seus horários de saída.

 

Readéque seus horários

 

Essa é uma continuidade do exercício anterior e é algo que já aconselhei uma das nossas alunas que trabalha como Veterinária  volante na especialidade de ultrassonografia. Ela me relatou que as clínicas veterinárias parceiras sempre precisam de exames “de última hora” e ela precisa se desdobrar para conseguir atender. Com isso, várias coisas que são importantes para ela acabam ficando de lado. A pergunta que fiz a ela para ajudá-la com isso foi: “Em que horário esses exames são mais frequentes”. Ela me relatou que mais no final da tarde.

 

Com isso, a minha sugestão a ela foi que mudasse seus horários de trabalho para iniciar mais tarde e se programar para estender até o começo da noite. Se não houvesse exames no final do horário, ela poderia sair mais cedo. Mas, se houvesse, ela não se culparia por estar deixando alguma atividade, já que esse é o horário “padrão” de trabalho para ela. Também sugeri que se ela começasse o dia de trabalho às 10h00; assim, ela poderia usar o início da manhã para os cuidados pessoais: atividade física, leitura, lazer, cuidados com a casa, etc.

É claro que isso não se aplica a todos os profissionais. Se você é funcionário, é provável que tenha menos autonomia para fazer isso acontecer. Mas é importante que você tenha isso como meta (mencionaremos isso na quarta dica).

 

Tenha um time capacitado

 

Sabemos que ser veterinário não é algo fácil. Agora, ser veterinário sozinho é muito mais difícil! Desde os tempos em que eu tinha a minha empresa de Nutrologia Veterinária, a Alimentar Vet, eu sabia disso. Ter todo o meu crescimento focado na minha pessoa, era algo que me preocupava, pois via que, com isso, eu ficaria refém do meu próprio negócio. Nessa época, eu busquei formas de construir um time capacitado e funcionou bem com a Dra Raquel, minha sócia naquele momento.

Um dos exemplos é que quando fui fazer a minha merecida viagem de lua-de-mel, a Raquel cuidou das pendências de meus pacientes e eu pude curtir 1 semana fora de forma mais tranquila.

Se você não tem quem te substituir, é importante pensar como fazer isso acontecer. Pode ser que a sua limitação seja financeira hoje, mas investir na construção de uma boa equipe certamente te levará a ganhar mais dinheiro a longo prazo.

O fundamental em tudo isso, é que você invista mais do que dinheiro na equipe. É imprescindível investir tempo em treinar e conviver com essas pessoas para que na sua ausência você possa ter a tranquilidade de saber que a qualidade do trabalho será mantida.

 

Encare como algo temporário

 

Se nada que eu falei até agora se aplica totalmente à sua rotina, então o que você tem a fazer é ver que essa é uma etapa da carreira que será importante para o seu crescimento. Mas, é importante que você tenha uma meta de mudar pois esse estilo de vida em longo prazo pode trazer várias consequências negativas.

Ao estabelecer essa meta, defina um prazo claro para quando você quer que a sua empresa/carreira não seja tão dependente diretamente da sua pessoa. Isso trará mais garra para a sua rotina, pois você encarará como um degrau para uma condição melhor. Afinal, se o trabalho não for para nos trazer mais qualidade de vida, será que ele vale a pena?

 

Conclusão!

 

Por mais que você adote as ferramentas que eu indiquei e até mesmo outras, é claro que sempre haverão dias em que você vai sair mais tarde do que o planejado. E tudo bem, isso faz parte da nossa profissão! Mas, o pensamento é que isso seja exceção e não a regra.

Ter um horário definido para sair do trabalho não significa que você é omisso. Adotar isso, é uma estratégia para que você se cuide e não sucumba à grande pressão psicológica que sofremos na nossa profissão (veja mais sobre o tema nesse outro artigo que escrevi de 10 dicas de como o veterinário pode lidar com o stress). Com certeza você conhece algum colega que desistiu de ser veterinário, pois não aguentava mais uma rotina insana.

Ter esse autocuidado é fundamental para que você possa recarregar adequadamente suas baterias e estar bem descansado para iniciar o próximo dia de trabalho. Acreditar que você é super-herói e que aguentará anos seguidos de trabalho sem um descanso apropriado pode ter um preço muito alto: a sua saúde física, psicológica e familiar.

Portanto, seja prioridade na sua própria vida e veja como todo seu aspecto profissional vai melhorar. É bem provável que você passe a se sentir mais realizado e até ganhe mais dinheiro com isso. Mas, para ter certeza disso, você vai ter que tentar e aplicar os conceitos que falei.

 

Autor:

Prof. Dr. Leandro Zaine, CRMV-SP 21.418

Leave a Reply