Skip to main content

Como ter sucesso na carreira de especialidades veterinárias?

 

Você sabe como ter sucesso na carreira veterinária? O Brasil possui um dos maiores mercados pet do mundo e isso nos traz muitas oportunidades. Por outro lado, também somos o país com mais cursos de Medicina Veterinária (já passam de 300 enquanto nos Estados Unidos são menos de 30), o que traz uma concorrência grande e uma necessidade de nos diferenciarmos.

 

Clínicas Veterinárias e Petshops

 

Tenho conversado com muitos colegas de diversas regiões do nosso país e vejo um quadro que se replica Brasil afora: novas clínicas e petshops se proliferando, colegas que não cobram um valor digno para se prestar um serviço adequado e um descontentamento geral com a profissão. Temos muito a fazer para superar essa situação e uma forma de nos diferenciar é escolher atuar na carreira de especialidades.

Essa é uma área bem promissora dentro da Medicina Veterinária que pode render bons salários. No entanto, alguns cuidados são necessários para que esse investimento dê certo a longo prazo. Na minha trajetória atuando na especialidade de nutrologia veterinária, pude ver muita gente que deu certo e vários outros que ficaram pelo caminho.

 

Áreas de especialização em Medicina Veterinária

 

O primeiro ponto que gostaria que você pensasse é se a área que você escolheu é adequada ao seu perfil. Por exemplo, no nosso curso de Empreendedorismo para Especialidades Veterinárias eu faço uma sessão de mentoria individual com todos os alunos e batemos um papo de 1 hora para orientar a carreira dele e construirmos juntos metas e plano de ação para seu crescimento. A primeira pergunta que eu sempre faço a eles é: “imagine que você atingiu a sua meta, você estaria satisfeito com a sua rotina de trabalho dessa forma?”.

 

Identificando os problemas

 

Isso é algo que poucas pessoas pensam, mas que pode prevenir muitos problemas. Vamos supor que você trabalha com ultrassom e é chamado para fazer exames em várias clínicas da sua região. Mas, pela sua personalidade, você é uma pessoa que prefere ter a rotina de trabalhar sempre no mesmo lugar, para conseguir se organizar melhor. Certamente, essa é uma condição que pode impactar na longevidade da sua carreira com imagem.

Algo parecido também aconteceu comigo. Eu sabia que para continuar crescendo eu precisaria me mudar para um grande centro. De fato, comecei a atender em grandes hospitais de São Paulo e isso me trouxe uma bagagem e retorno financeiro excelentes. Entretanto, sempre morei no interior e vi que não me adaptaria ao ritmo de vida na capital, então decidi continuar no interior mesmo e agregar outros trabalhos aos meus atendimentos.

 

Como crescer na carreira de especialidades veterinárias?

 

Outro ponto fundamental que vi para se ter reconhecimento na área de especialidades é desenvolver habilidades não-técnicas. E posso falar com conhecimento de causa total. Ao concluir meu doutorado eu tinha a visão que estava totalmente preparado para fazer atendimentos de excelência e crescer nessa carreira. No entanto, a realidade é que ainda me faltava muita coisa.

Nos apaixonamos muito pela parte técnica e nos aprofundamos no conhecimento das doenças, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. Isso é o que nós gostamos e é empolgante quando nos dedicamos à nossa área. Mas, muitas vezes, isso “não enche a barriga”. Eu presenciei diversos colegas com nível técnico admirável, muitos com experiência internacional, que hoje não atuam mais na sua área de especialização. Todo esse tempo dedicado a uma formação pode ter sido desperdiçado por não serem desenvolvidas outras competências.

 

Competências que todo o Veterinário especialista precisa ter

 

E quais são essas competências? Nesse artigo, quero destacar uma que é a capacidade de se comunicar de uma forma clara e de construir bons relacionamentos. Isso eu aprendi a duras penas. Lembro-me de acompanhar um colega endoscopista em uma visita em uma clínica em São Paulo na qual ele me apresentou o pessoal da internação para eu dar algumas dicas de suporte nutricional. Era a oportunidade de eu construir laços para que as pessoas confiassem no meu trabalho. Mas, eu não consegui. Eu avaliei apenas do ponto de vista técnico e acabei julgando como eles estavam fazendo um suporte nutricional inadequado. Com isso, não me conectei a eles e a parceria com essa clínica nunca foi firmada.

Nesse dia, me lembro que o colega repreendeu meu comportamento e disse que eu tinha perdido uma excelente oportunidade. Fiquei bastante triste com o desfecho, mas não sabia muito bem como fazer diferente. Só fui entender isso anos depois, quando no meu curso de MBA a professora apresentou o conceito de comunicação assertiva, que é “expressar-se de forma clara e adequada, sobre aquilo que pensamos/sentimos em relação aos outros ou à situação, garantindo os seus direitos, sem desrespeitar os direitos do outro.”

 

Por que o Veterinário não sabe vender?

 

Dediquei-me então a aprimorar minhas habilidades de comunicação por perceber o quanto isso era estratégico para a nossa carreira. Também a passei estudar sobre vendas e isso me trouxe uma prática muito maior de como me comunicar de forma mais clara (confira esse artigo que escrevi “Por quê o veterinário não sabe vender“).

Tudo isso que fiz foi de forma intencional, por saber que apenas ser um bom profissional no aspecto técnico não ia bastar. Procurei desenvolver as competências que me faltavam e isso fez toda a diferença! Nas primeiras visitas que fiz em clínicas para falar do meu serviço de especialidades eu era tão pouco convincente que talvez nem eu encaminharia um caso para mim mesmo. Trabalhando essas competências, desenvolvi uma segurança muito maior que abriu muitas portas.

 

Conclusão

 

Tendo convivido e entrevistado tantos profissionais de destaque nacional nas especialidades eu posso afirmar claramente: eles não são só bons na parte técnica. Eles desenvolveram habilidades de relacionamento interpessoal que abriram muitas portas a eles. Sem tais competências, certamente eles não teriam crescido tanto.

O recado final que quero deixar é que você identifique quais “gaps” existem na sua carreira e de que forma você pode aprimorar. Também deixo uma recomendação de leitura para você desenvolver essas habilidades de comunicação que é o clássico livro do Dale Carnegie, “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Boa leitura e bom crescimento!

 

Autor:

MV Prof. Dr. Leandro Zaine

Doutor em nutrição de cães e gatos e Fundador da Vet Up.

Leave a Reply