Workshop de Atendimento ao Cliente e Vendas – Uberlândia
Janeiro 20, 2018
Empreendedor veterinário, Medicina Veterinária, Gestão para Veterinária, Gestão Veterinária, Médicos Veterinários, Veterinária,
Gestão RP – Módulo Básico
Fevereiro 15, 2018
 

INSCREVA-SE PARA RECEBER OS NOVOS POSTS!

Como montar uma campanha de marketing veterinário que funcione

É fato que para nossos negócios sobreviverem, precisamos ter a capacidade de divulgar de forma efetiva para conseguir atrair mais clientes e, então, eles venham finalmente “experimentar” os serviços veterinários que estamos oferecendo.

 

Acontece que se nosso plano de marketing não for bem trabalhado, podemos ter dois grandes problemas:

  1. A campanha não resultou em mais clientes
  2. A ação foi muito caro e o custo para trazer um cliente novo não compensou

 

Esses dois aspectos não podem ser perdidos de vista na hora de pensar em fazer o marketing de seu negócio veterinário. Uma campanha mal planejada, pode ter resultados frustrantes, assim como um dos nossos alunos me relatou:

“Já tentei de tudo para divulgar minha clínica e parece que nada funciona. Investi em vários tipos de propaganda e não consigo atrair mais clientes”.

Um relato desse tipo é bastante comum entre os veterinários que tenho conversado. Isso não necessariamente significa que o mercado que você está instalado é “ruim”. Alguns ajustes na mensagem podem trazer muito mais resultado e gostaria de destacar um ponto que vai te ajudar bastante.

 

Com quem você quer falar?

 

A mensagem de marketing para sua clínica/hospital veterinário, laboratório ou, até mesmo, serviço de especialidades precisa ser mais específica possível. Você precisa, antes de tudo, fazer uma análise de quem é seu principal perfil de cliente. Tente enquadrar seu cliente principal nos seguintes critérios:

  • Sexo: Qual é predominante?
  • Idade: Qual a faixa etária do seu público-alvo?
  • Escolaridade: São pessoas com nível superior de estudo? Fizeram pós-graduação?
  • Bairro: Onde eles moram?
  • Hobbies: O que eles gostam de fazer/onde frequentam?

 

Talvez algumas dessas perguntas sejam mais difíceis de responder. Não se prenda a tantos detalhes. Mas, a partir de determinado esse perfil, pense que tipo de mensagem se encaixa a ele. Ao escolher uma forma de comunicação e escrever um material, imagine-se comunicando com uma pessoa com esse exato perfil.

 

Exemplo: público-alvo predominante de homens, acima 60 anos, aposentados, que moram somente com a esposa em uma cidade de litoral e tem como hobby caminhadas na praia.

 

Provavelmente, para esse perfil, uma linguagem muito “descolada” e informal não faça muito sentido e não te aproxime deles. Possivelmente, é um público que gosta de informações mais detalhadas e sem pressa e que deve ter uma presença em redes sociais menos intensa do que pessoas mais jovens.

A partir disso, você pode concluir que um canal para atingi-los é fazer panfletos informativos sobre cuidados preventivos com pets e distribuir nos quiosques na beira da praia no qual eles costumam parar para tomar água de coco.

É claro que esse é somente um exemplo aleatório, mas a intenção é te ajudar a definir seu público e individualizar a mensagem o máximo possível. A sua meta deve ser que a pessoa que está lendo o material chegue à conclusão: “parece que foi escrito para mim, é exatamente o que eu precisava!”. Certamente, no começo não será fácil, mas conforme você for praticando, sairá cada vez mais natural.

 

E deixo uma frase final de um grande pensador do marketing, Philip Kotler:

“A melhor propaganda é feita por clientes satisfeitos.”

Monte seu plano de marketing, mas nunca se esqueça que atender bem os clientes é um caminho para que sua mensagem seja perpetuada!

Interessou-se pelo tema?

Oferecemos regularmente cursos e workshops sobre este e outros temas, sempre especialmente elaborados para o público veterinário.

Comente aqui com a gente o que achou do post!

Comentário